1º Encontro Food Grade: evento exclusivo debate os lubrificantes de grau alimentício

Food-Grade-1920X1082

Um evento inédito para falar de lubrificantes de grau alimentício. Essa foi a premissa do “1º Encontro com o Mercado de Lubrificantes Food Grade”, realizado no último dia 22 de outubro, no Milenium Centro de Convenções, Vila Clementino, São Paulo. “O encontro ampliou o debate sobre o tema”, diz Pedro Belmiro, coordenador técnico do evento, em entrevista exclusiva ao Óleo Certo. Confira a seguir:

Óleo Certo: Qual é a importância do “1º Encontro com o Mercado de Lubrificantes Food Grade”?

Pedro Belmiro: Há muitos anos, temos conversado e debatido, no âmbito de comissões técnicas e de eventos gerais, sobre a importância de se ter um olhar mais atento a esse segmento.

Em uma apresentação internacional, foi mostrado que cerca de 60% do lubrificante utilizado na indústria de alimentos e bebidas ainda é de base mineral. Isso em nível mundial. Dessa forma, entendemos que precisamos urgentemente levantar essa questão aqui no Brasil, para melhorar a qualidade dos produtos que ingerimos.

Portanto, o evento, exclusivo para falar de lubrificantes de grau alimentício, ampliou o debate sobre o tema e contou com a participação de especialistas das áreas de tecnologia, comercial e regulatória. Dessa forma, trouxemos ao público as visões de desenvolvedores de tecnologia para lubrificantes especiais, bem como os órgãos certificador e legislador, além da indústria produtora de alimentos e bebidas.

Óleo Certo: Qual será a contribuição desse evento para o setor de food grade e para a indústria de lubrificantes em geral?

Pedro Belmiro: Acreditamos que o evento seja uma semente que deverá germinar rapidamente, pois já detectamos o interesse de vários segmentos ligados ao tema, mas faltava ainda um catalisador para que as questões principais viessem à tona, sem interesses comerciais.

Existem várias tecnologias apropriadas e procedimentos específicos para a indústria do setor, tanto na área de manutenção como de produção, e queremos que esse conhecimento esteja realmente ao alcance de todos para o melhor desenvolvimento do país.

A segurança alimentar está cada vez mais sendo discutida e observada por legisladores e consumidores e, como disseminadores de conhecimento, pretendemos continuar reagindo e sendo proativos, levando o conhecimento específico aos profissionais especializados e colaborando para melhorar cada vez mais o nível de qualidade dos alimentos consumidos no país.

Na verdade, é um segmento em que nós, do ramo de lubrificantes, somos fornecedores e ao mesmo tempo consumidores, junto com nossas famílias.

Óleo Certo: Quais são as perspectivas do food grade no Brasil? Crescimento do setor?

Pedro Belmiro: É importante entender o potencial do segmento de lubrificantes de grau alimentício, observando o desempenho dos setores de alimentos e bebidas, que hoje representa algo em torno de 10% do PIB Nacional, e seguem investindo forte em tecnologia e otimização da produção. Até mesmo diante da desaceleração da Economia, mostraram crescimento, registrando alta de 2.08% no faturamento em 2018.  O Brasil é o segundo maior exportador de alimentos industrializados do mundo, e tem uma expectativa de desempenho positivo para os próximos anos.

Dessa forma, uma indústria que cresce em volume e tecnologia tende a demandar mais óleos lubrificantes para sua manutenção, e com o entendimento e aplicação das melhores práticas de produção e segurança, a expectativa é também de crescimento da utilização dos lubrificantes corretos, ou seja, de grau alimentício ou food grade.

Por Antonio Carlos Teixeira

Essa informação foi útil para você?

Por que essa informação, não foi útil para você?

Obrigado pela sua participação!

compartilhe essa informação: